quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Galeria dos Mártires - Felipe e Mary Barreda

FELIPE E MARY BARREDA
Mártires Cristãos Revolucionários
NICARÁGUA * 07/01/1983

Felipe e Mary Barreda, Casal exemplar, pais de seis filhos, membro do Conselho Pastoral da diocese de Esteli, descobrem nos Cursilhos de Cristandade e na Revolução Sandinista as exigências sociais do Evangelho, particularmente incômodas para pessoas de classe alta. 

Felipe era relojoeiro e sua mulher possuía um salão de beleza. Aos poucos a vida deles foi se transformando, tornando-se cada vez mais participativos da comunidade. Por fim, puseram-se ao lado dos pobres e perseguidos. Despojados, davam testemunho de simplicidade de vida e de pobreza evangélica.

Seus bens e seu tempo passa a ser do povo, na luta contra a ditadura somozista e na construção da Nova Nicarágua. 

Em dezembro de 1982, partiram com o filho menor para trabalhar na colheita de café. Na montanha foram sequestrados por um bando dos “contras”, levados para Honduras, onde foram barbaramente torturados, amarrados nus a uma árvore, deles os carrascos só conseguiram, antes do tiro mortal, essa emocionado profissão de fé religiosa e política: “Cristãos e Sandinistas!

A morte do casal repercutiu em toda Igreja nicaraguense, e milhares de cristãos se reuniram na catedral de Esteli para participarem da missa concelebrada por 30 sacerdotes.

Oração da força do testemunho

Deus, nosso Pai, Felipe e Mary Barreda viveram sempre unidos, e unidos trabalharam pelo vosso Reino, testemunhando com as suas vidas o grande amor que devotaram aos pobres e perseguidos por causa do vosso Evangelho. A exemplo deles, que a fé nos ilumine a vida, e a nossa vida traduza a fé que professamos em Cristo, vosso Filho. Como os abençoastes, Senhor, abençoai também os esposos, amparando-os nos momentos difíceis de tristeza e de dor. Vós que sois um Deus fiel, cheio de ternura e de misericórdia, fazei que os casais aprendam de vós a fidelidade, a ternura e a misericórdia. Abri seus corações à conversão, ao serviço aos irmãos. Saibam carregar o fardo um do outro, perdoando mutuamente as próprias faltas e culpas. Recordados das maravilhas do amor que opera em nossas vidas, encontremos na vossa Palavra luzes e forças para servir na gratuidade o vosso Reino.

Amém, Axé, Awiri, Aleluia!

Texto elaborado por Tonny, da Irmandade dos Mártires da Caminhada,
a partir de pesquisa na Internet e da Galeria dos Mártires da Caminhada, Prelazia de São Félix do Araguaia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário