Postagens

Mostrando postagens de 2018

Galeria dos Mártires - Zumbi dos Palmares

Imagem
ZUMBI DOS PALMARES Patriarca da Causa Negra PALMARES - AL * 20/11/1695
Filho de escravos e educado por um padre, conseguiu fugir do cativeiro dos canaviais e se juntar, no Quilombo dos Palmares, em Alagoas, ao grupo de rebeldes, negros e até indígenas e brancos, que iam formando, frente ao regime da escravidão e da segregação, uma comunidade livre e fraterna.
Zumbi, pela sua capacidade de estratégia, tornou-se líder do Quilombo mais famoso e extenso, Palmares, que durou 95 anos resistindo às investidas do exército e dos coronéis do açúcar.
Traído e preso, sua cabeça foi exposta na praça do Carmo, no Recife. 
É justamente considerado patriarca do povo negro no Brasil e na Afroamérica.
Texto retirado da Galeria dos Mártires, no Santuário de Ribeirão Cascalheira, MT.

Galeria dos Mártires - Mártires da Teologia da Libertação, Mártires da UCA

Imagem
MÁRTIRES DA TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO MÁRTIRES DA UCA UCA – EL SALVADOR * 16/11/1989
Os seis jesuítas, Pe. Joaquín López y López, 71 anos, Salvadorenho, fundador da UCA, e os Padres espanhóis, Pe. Ignacio Ellacuría, 59 anos, reitor da universidade, Pe. Segundo Montes, 56 anos, diretor do Instituto de Direitos Humanos da UCA, Pe. Juan Ramón Moreno, 56 anos, diretor da Biblioteca de Teologia, Pe. Amando López, 53 anos, professor de teologia,  Pe. Ignacio Martín-Baró, 47 anos, vice-reitor acadêmico, Elba Ramos, 42 anos, cozinheira e sua filha, Celina Ramos, 16 anos, foram assassinados a sangue frio no campus da Universidade Centro-Americana José Simeón Cañas (UCA), em El Salvador.
Paramilitares do Exército Salvadorenho invadiram a residência dos jesuítas com o objetivo único de matar aqueles que incomodavam a ditadura. Foram mortos porque defendiam os empobrecidos e apostavam no diálogo entre as duas partes da guerra civil – Governo, de um lado, e Frente Farabundo Marti para a Libertação Nacion…

Galeria dos Mártires - Florinda Soriano Muñoz "Mamá Tingó"

Imagem
FLORINDA SORIANO MUÑOZ “MAMÁ TINGÓ” Camponesa Negra Militante REPÚBLICA DOMINICANA * 01/11/1974
É a singular e muito querida “MamáTingó”. Negra, camponesa analfabeta, mãe de nove filhos e dirigente da Federação de Ligas Agrárias Cristãs. Profundamente religiosa, Tingó peregrina todos os anos ao “Santo Cerro”, cantando salves a Nossa Senhora. 
Líder muito estimada na Federação, esteio da coragem de seus companheiros e companheiras, MamáTingó nega-se a entregar as terras de Hato Viejo, Yamasa, cobiçadas pelo latifúndio: “Para tirar-me as terras, primeiro terão que tirar a vida!”
Diante de seu cadáver venerado, o povo exclama, renovando o compromisso: “Caiu a mamãe de todos... O sangue de Tingó será fecundo; será a melhor semente que ela semeou em Hato Viejo.
Texto retirado da Galeria dos Mártires, no Santuário de Ribeirão Cascalheira, MT.

Galeria dos Mártires - Dorcelina de Oliveira Folador

Imagem
DORCELINA DE OLIVEIRA FOLADOR Prefeita e Mártir do Povo MUNDO NOVO-MS * 30/10/1999
Hoje fazemos memória de 19 anos de seu martírio.
Dorcelina nasceu no Paraná, em 1963 e foi assassinada em Mundo Novo, MS, com apenas 36 anos de idade, na varanda de sua casa, no dia 30 de outubro de 1999.
Dorcelina iniciou sua luta social na pastoral da juventude, nas comunidades eclesiais de base, na pastoral da terra e na pastoral familiar, foi líder do Movimento Sem Terra, militante do PT, e prefeita do povo no mais autêntico sentido da palavra. Símbolo da resistência contra a corrupção, amante da natureza, lutadora pela reforma agrária. 
Irradiava coragem e esperança. Eleita prefeita numa vitória popular que enfrentou as ameaças do latifúndio e do narcotráfico, mereceu mais de 80% de aprovação popular.
Tem sido definida como eficientíssima “deficiente (pela poliomielite), mãe militante da vida e da ética, alegre e intensa, autodidata, artista plástica, educadora, verdadeira, solidária, cristã”. Recebeu o p…

São Romero da América? Artigo de José María Vigil

Imagem
São Romero da América? Perguntaram-me: a canonização de Romero faz sentido para nós? Artigo de José María Vigil

26 Setembro 2018
“De que outra canonização dom Oscar Arnulfo Romero tem necessidade? O que lhe falta? O que uma “canonização oficial” em Roma poderia lhe acrescentar?”, pergunta José María Vigil, teólogo espanhol naturalizado nicaraguense, em artigo publicado por Academia.edu, 23-09-2018. A tradução é de André Langer.
E após desenvolver seu raciocínio, conclui dizendo: “A partir dessa visão, fica claro que não precisamos que Romero seja canonizado. ‘Ele é santo de um modo muito particular. Já está canonizado. Pelo povo. Não é preciso mais nada’”, retomando palavras de Pedro Casaldáliga.
"A esta altura da história, - conclui o teólogo - com o tanto que choveu depois de 24 de março de 1980, já não nos parece uma “ofensa”, mas, sobretudo, uma “reabilitação” adicional, redundante, mas útil, sobretudo para as hierarquias religiosa e civil que durante décadas se opuseram ao recon…

Galeria dos Mártires - Pe. João Bosco Penido Burnier

Imagem
Pe. JOÃO BOSCO PENIDO BURNIER
Jesuíta Missionário, Mártir RIBEIRÃO CASCALHEIRA – MT * 11-12/10/1976
Memória dos 42 anos de seu martírio.
Era a tarde do dia 11 de outubro de 1976. Duas mulheres sertanejas, Margarida e Santana, estavam sendo torturadas na cadeia-delegacia de Ribeirão Bonito, Mato Grosso, lugar e hora de latifúndio prepotente, de peonagem semi-escrava e de brutalidade policial.
A comunidade celebrava a novena da padroeira, Nossa Senhora Aparecida. E nesse dia haviam chegado ao povoado o Bispo Pedro e o Padre João Bosco Penido Burnier, mineiro de Juiz de Fora, jesuíta, missionário entre os índios Bakairi. Os dois foram interceder pelas mulheres torturadas. Quatro policiais os esperavam no terreiro da delegacia e apenas foi passível um diálogo de minutos. Um soldado desfechou no rosto do Padre João Bosco um soco, uma coronhada e o tiro fatal.
Em sua agonia, Padre João Bosco ofereceu a vida pelo CIMI e pelo Brasil, invocou ardentemente o nome de Jesus e recebeu a unção. Foi morre…

Galeria dos Mártires - Marta Juana González de Baronetto

Imagem
MARTA JUANA GONZALEZ DE BARONETTO e Companheiros Mártires do Serviço ARGENTINA * 11/10/1976
Marta Juana González de Baronetto, nasceu em 05 de maio de 1950 em Guasapampa, Departamento de Minas, província de Córdoba. 
Professora e Catequista, muito comprometida com o povo.
Ela tinha dois filhos e estava grávida de quatro meses. Foi sequestrada e presa em agosto de 1975, levada ao D2 onde ficou vários dias e, em seguida, transferida para a prisão de San Martin. O filho Lucas Ariel nasceu na UP1 em julho de 1976.
No dia 11 outubro de 1976, aos 26 anos foi morta com os companheiros Oscar Jorge Garcia, Pablo Balustra, Florencio Esteban Diaz, Miguel Ceballos e Oscar Hubert.
A vida de Marta foi toda marcada pelo compromisso cristão, que a levou a um compromisso político, numa época em que se vislumbrava o triunfo de um movimento que defendesse a justiça social e participação popular. Ela era dinâmica, alegre e ativa. 
Atuou como professora na escola de seu bairro, "São José Operário". Tamb…

Galeria dos Mártires - Che Guevara

Imagem
CHE GUEVARA

MEMÓRIA DOS 51 ANOS DE SEU MARTÍRIO