quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Galeria dos Mártires - Massacre de Cromotex

MASSACRE DE CROMOTEX
PERU * 04/02/1979

Os operários da fabrica têxtil Industrial Cromotex, de Lima, não recebiam seus salários atrasados e tiveram seus turnos de trabalhos reduzidos, até que em novembro de 1978 a fábrica fechou as portas ilegalmente. Duzentos operários ficaram sem trabalho.

Em dezembro decidiram tomar a fábrica para impedir sua desmontagem e defender sua fonte de trabalho.

Levaram um mês e meio nesta situação, quando na madrugada de 4 de fevereiro de 1979 duzentos homens da Guarda Civil protegidos por tanques, chegaram à fabrica disparando para o ar e lançando bombas lacrimogêneas.

Os trabalhadores, apesar da surpresa, conseguiram repelir o ataque das forças policiais, mas estas receberam reforço de centenas de efetivos e mais pequenos tanques.

Pouco depois, ficaram junto às máquinas, como se procurassem defender o pão de seus filhos, seis operários mortos e dezenas de feridos. Os outros foram aprisionados.

Oito meses depois destes acontecimentos de fevereiro, ainda havia vinte e seis operários presos, em greve de fome para conseguir a liberdade.

Finalmente, ficaram quatro trabalhadores na cadeia ameaçados de serem julgados por um tribunal militar. A pressão do povo, porém, conseguiu para eles uma anistia de Natal.

A luta e o martírio dos operários de Cromotex é um marco na história do Movimento Popular do Peru, que cresceu em solidariedade.

Texto elaborado por Tonny, da Irmandade dos Mártires da Caminhada,
a partir do livro: Sangue Pelo Povo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário