segunda-feira, 1 de junho de 2015

Galeria dos Mártires - Pe. Sergio Restrepo Jaramillo

SERGIO RESTREPO JARAMILLO
Mártir da Libertação
COLÔMBIA * 01/06/1989

Pe. Sergio Restrepo Jaramillo, jesuíta de 49 anos, mártir da promoção humana e libertação dos camponeses de Tierralta, Colômbia. Assassinado na frente da paróquia de Tierralta, Córdoba, enquanto conversava com os seus colegas padres e vários leigos.

Sergio nasceu em Medellín e entrou na Companhia de Jesus aos 18 anos. Foi ordenado sacerdote em 1970, depois de trabalhar por vários anos em sua cidade natal, em 1980 ele foi nomeado pároco em Tierralta. 

Nos últimos anos, a região era um campo de ação das guerrilhas. Os traficantes de drogas compraram grandes extensões de terra e militares e mafiosos não viam com bons olhos o trabalho dos sacerdotes nas aldeias. Porém sua opção pelos pobres é clara e a sua evangelização profética incluía a crítica da organização social injusta da Colômbia. 

A paróquia de Tierralta oferece uma nova imagem da Igreja, e Sergio é a liderança. Com uma grande capacidade de comunicação, é amigo de todos. De enorme sensibilidade artística, é guardião da cultura sinú, cujas expressões foram coletadas em um museu. Enamorado da natureza, cria um parque no meio da cidade. "Todo mundo ajudou, preto e branco, policiais e costeira, bons e malucos", disse uma senhora. 

Dois assassinos atirar-lhe no rosto e o mataram. Seu corpo cai estendido no chão. Sergio trazia uma carta escrita: "Aqui se constrói espaços para a paz".  Ele foi levado para Medellin, onde bispos, sacerdotes, familiares e amigos se reúnem para despedir-se deste servidor dos pobres.

Alguns versos escrito por Sergio em seu último retiro: "Fue un navegante / varado en tierra firme. / Buscó siempre el amor / en las rutas incógnitas / de la inefable rosa de los vientos. / Creyó en la vida. / Hizo de la amistad su lema. / Su existencia fue un sueño. / Y a su muerte / devolvió a Dios su alma / y reintegró a la tierra / lo que ella le había dado: / un efímero nombre. / Y un puñado de huesos".

Texto elaborado por Tonny, da Irmandade dos Mártires da Caminhada, a partir de leitura da página do Serviço Koinonia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário