terça-feira, 20 de junho de 2017

Galeria dos Mártires - Pe. Rafael Palacios

Pe. RAFAEL PALACIOS
Mártir das CEB’s
EL SALVADOR * 20/06/1979

Rafael Palacios nasceu em San Luis Taipa, em 16 de outubro de 1938, sendo ordenado sacerdote diocesano no dia 26 de maio de 1963.

Após o assassinato do Pe. Octavio Ortiz e quatros leigos em 20 de janeiro de 1979, Pe. Rafael foi substituí-lo na Paróquia San Francisco Mexicanos, de San Salvador. Nesta comunidade esteve totalmente dedicado ao trabalho dos setores operários, especialmente dos bairros de Santa Tecla e de Santa Luiza. Seu principal serviço pastoral era a formação de Comunidades Eclesiais de Base. Nisso reside também à causa de sua morte.

No dia 20 de junho de 1979, se dirigia a uma reunião das Comunidades Eclesiais de Base, (CEB’s), na Igreja El Calvario, foi assassinado em plena rua, crivado de balas pela ultra-direita, aos 41 anos.

Assim relatou um amigo seu: “Desde que o conheci, o escutei dizer que um sacerdote não tem razão de ser, senão no seio de uma comunidade. Que o essencial da mensagem de Jesus foi convidar a humanidade dividida a lutar contra o que mantém as pessoas dispersas e desorientadas, isto é, o pecado. Jesus nos propõe seu plano e nos convida a segui-lo, não de qualquer modo, ...”.

“Todo o ideal do Pe. Rafael, sua vocação sacerdotal, sua inteligência, suas forças, colocou-as a serviço dos demais. Podíamos vê-lo sempre pelas ruas dos lugares onde havia trabalhado, tratando de convidar a todos para formar uma CEB’s. Este foi seu ideal e o conseguiu. Dizia que nessa comunhão íamos descobrindo o Reino. Sofreu muitas incompreensões e foi considerado uma pessoas perigosa, pelo simples fato de oferecer formação ao povo”.

Dom Romero, na homilia assim se referiu ao Pe. Rafael: “Posso dizer com as comunidades de base que tão bem o conhecera que ele estava longe de provocar qualquer violência, ou de semear ódio... Ele pregava o amor, era um homem de profunda meditação, que sempre acreditou mais na força do amor do que na violência, cujo ideal era o de criar comunidades de base inspiradas no amor de Jesus Cristo... Seria triste em um país onde o assassinato é cometido tão horrivelmente contra o povo, não encontrássemos também sacerdotes entre as vítimas. Eles são testemunhas de uma Igreja encarnada nos problemas de seu povo”.

Texto elaborado por Tonny, da Irmandade dos Mártires da Caminhada

Nenhum comentário:

Postar um comentário